sexta-feira, 22 de agosto de 2008

II SEMINARIO ENSINO NOTURNO REGULAR: “SEUS ESPAÇOS, TEMPOS E POSSIBILIDADES”.


Primeiro dia, sala cheia

Falas, pessoas mal educadas e pessoas educadas

Falas exaltadas, sem reflexão, outras exaltadas sim, mas com reflexão

Cabeças pensantes, pensam no futuro do outro

Outro que não teve oportunidades no estudar

Estudar, que as mazelas da vida o impediu

Impediu que adentrasse pelos caminhos do saber

Saber que o dignificasse nas letras, na escrita, no ler, no pensar.

Pensar como ser, como individuo inserido num contexto social

Social que é cruel.

Um outro dia acontece o pensar, o falar do outro

Um dia que começa com alegria, com o cantar

Cantar, dançar que se faz tão necessário para o nosso ser, para o nosso viver.

Viver uma vida com saber, com o amor, com a alegria de um ser feliz

Isso feliz! É o que queremos, é o que querem para todos os seres.

Seres que necessitam de um olhar sensível.

Seres que nos pedem socorro

Socorro que procuramos por todos os lados

Olhares, falares, atitudes são tomadas

Mas entraves são colocados no caminhar

Caminhar tão difícil

Difícil mas não impossível

Impossível será não agir diante de tantos empecilhos.

Cabeças pensantes estudam, elaboram projetos para dar possibilidades.

Possibilidades de vivenciar, de discutir o cotidiano escolar, a sociedade,

O nosso caminhar, a reflexão sobre a nossa pratica educacional.

Momento da fala, da reflexão, do desabafo

Desabafo sobre o sistema, sobre o olhar de descaso, o olhar infantil sobre os adultos.

Momento de reivindicações do ser, estar no ambiente escolar

Ambiente escolar que necessita de olhares

Olhares sobre o diferente

Diferente que não possuem um olhar

Olhar negado, ser jogado ao léu

Olhar negado para a educação

Educação que pede socorro para esse ser.

Reflexão, fala dolorida, fala de uma vida

Vida sofrida, vida impedida de caminhar

Caminhar por entre saberes

Saberes tão importantes para o seu ser

Ser que foi impedido de andar, sonhar

Sonhar com o seu futuro

Futuro profissional, futuro como ser com perspectivas

Sonho proibido por outros

Outros que não puderam impedir as sua esperanças

Esperanças não mortas

Vida que se ergue

Ergue, segue o caminho almejado

Segue a vida por entre os saberes

Saberes tão desejados

Saberes que não nega aos seus frutos

2 comentários:

midori disse...

pena que não sei fazer poesia como você, mãe! acho que isso não é genético hehehe
que bom que abriu um espaço para se expressar. fico feliz com isso.

te amo!
muitos beijos,
midori

Lani disse...

Celina,
Que lindo é o seu coração que se expressa com a excelencia de uma grande poeta!
Parabéns pelo blog, pela poesia e obrigada por você compartilhar tanta sensibilidade conosco!
Um grande abraço,
Helaine